Crediall, de crédito imobiliário, prepara captação via venture debt

Foto: Tierra Mallorca/Unsplash
Foto: Tierra Mallorca/Unsplash

[et_pb_section fb_built=”1″ admin_label=”Título do Artigo – NÃO MEXER!” _builder_version=”4.9.5″ _module_preset=”default” background_image=”https://finsiders.com.br/wp-content/uploads/2021/05/BG-Live.png” global_colors_info=”{}”][et_pb_row _builder_version=”4.9.4″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][et_pb_column type=”4_4″ _builder_version=”4.9.4″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][et_pb_post_title date_format=”d/m/Y” comments=”off” featured_image=”off” _builder_version=”4.9.4″ _module_preset=”default” title_font=”Montserrat||||||||” title_text_color=”#023146″ title_font_size=”40px” meta_font=”Montserrat||||||||” meta_font_size=”18px” text_orientation=”center” global_colors_info=”{}” author__hover_enabled=”on|desktop”][/et_pb_post_title][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section][et_pb_section fb_built=”1″ specialty=”on” _builder_version=”4.9.5″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][et_pb_column type=”2_3″ specialty_columns=”2″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” global_colors_info=”{}” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_row_inner _builder_version=”3.25″ background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat” global_colors_info=”{}”][et_pb_column_inner saved_specialty_column_type=”2_3″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” global_colors_info=”{}” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_post_title title=”off” meta=”off” force_fullwidth=”off” admin_label=”Imagem do artigo – NÃO MEXER!” _builder_version=”4.9.5″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][/et_pb_post_title][et_pb_text admin_label=”Texto do Artigo” _builder_version=”4.14.2″ text_font=”Montserrat||||||||” background_size=”initial” background_position=”top_left” background_repeat=”repeat” text_orientation=”justified” hover_enabled=”0″ global_colors_info=”{}” sticky_enabled=”0″]

Quando chegou ao mercado, em 2017, a Crediall Tech enfrentou um cenário de juros altos, logo após a crise econômica brasileira no biênio 2015-2016.

Mas, mesmo com desemprego alto e perda de renda no país, a empresa fundada por Paulo Carrete e Priscila Oliveira iniciava a sua operação com a oferta de simulador multibancos para ajudar os corretores a aumentarem as vendas.

Nos últimos anos, o negócio caminhou bem. Em 2020, primeiro ano do isolamento social, a Crediall faturou R$ 2,2 milhões com entre 200 a 250 clientes, e originou R$ 220 milhões em financiamentos para a compra de imóveis.

Diante do incentivo gerado pelas startups nos últimos anos, — sobretudo entre as novatas do setor financeiro, cujo segmento registrou aportes de US$ 3,7 bilhões em 2021 –, veio o estalo para incrementar o negócio com a inserção de tecnologia.

E também para uma leve correção de rota. Com o primeiro aporte — feito pelo empresário Pedro Junqueira Moll, membro do conselho de administração da Rede D’Or, em meados de outubro –, a Crediall passou a ampliar seu escopo de atuação.

Assim, foi além de apenas fazer o meio de campo entre as instituições financeiras e imobiliárias, como também fornecer ferramentas de gestão para corretores, incorporadoras, agentes de investimentos e de seguros. E começou a olhar para crédito, movimento que ganhou importância para posicionar o negócio como uma fintech em real estate e gerar novas receitas.

“A gente enxergou uma oportunidade de trabalhar o ecossistema do mercado imobiliário, deixando de olhar apenas o nosso nicho de atividade. Quando você tem esse olhar, encontra grandes oportunidades de crédito, o que ainda é um gargalo da indústria”, diz o CEO da Crediall Tech, Paulo Carrete, em entrevista ao Finsiders.

Dentre as mudanças recentes, a fintech trouxe ao mercado o seu app “Parceiro”, em que qualquer pessoa em busca de renda extra pode indicar clientes para realizar financiamentos imobiliários. Sua plataforma de gestão para as incorporadoras passou a ser também um aplicativo.

Em 2021, a empresa originou mais de R$ 700 milhões em financiamentos, mais do que o triplo do ano anterior. Com 900 clientes, faturou R$ 7 milhões, alta de 250%. Ainda, passou do Rio de Janeiro para mais sete capitais, estendendo a presença a São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Vitória (ES), Fortaleza (CE), São Luís (MA), Curitiba (PR) e Distrito Federal (DF).

Paulo Carrete, CEO da Crediall Tech (Divulgação)
Paulo Carrete, CEO da Crediall Tech (Divulgação)

Para manter o ritmo de crescimento, pretende finalizar, até o final do próximo mês, uma rodada de venture debt no valor de R$ 10 milhões, em uma operação com o Itaú BBA, adianta Paulo.

No pipeline, também está o uso de recursos próprios para oferta de recursos para financiamento, que será estruturada por meio de um FIDC (Fundo de Investimento em Direitos Creditórios), o que inclui a criação de uma linha especialmente para mulheres, anunciada ontem (17) pela empresa.

No total, a Crediall pretende oferecer R$ 40 milhões em crédito próprio e originar R$ 1,5 bilhão em negócios, mais do que o dobro em comparação ao ano anterior. Dessa forma, espera chegar a 14 capitais, com as regiões Nordeste e Centro-Oeste representando os maiores avanços.

Mas esse ganho de mercado passa por algumas estratégias. No final de abril, a empresa vai lançar o seu projeto de microfranquias.

Com o custo de R$ 22 mil por unidade, espera ter 100 parceiros até o final do ano em cidades menores — aquelas com cerca de 100 mil habitantes, onde há dificuldades para criar uma estrutura própria. Para 2023, a expectativa é contabilizar pelo menos 200 microfranqueados.

“Entre as mulheres, a inadimplência é menor. Por que não ter um score específico para baratear as taxas para esse público? Queremos algo semelhante ao que ocorre no setor de seguros”, diz Paulo.

Outro passo importante é a expansão da atuação em baixa renda. Neste sentido, a Crediall deve anunciar, em abril, uma nova marca, a Kreditos. “Esse público representa 68% do crédito no país.”

Até dezembro, planeja colocar em prática o seu home equity, modalidade de crédito com garantia de imóvel em que o cliente poderá tomar até 60% do valor do ativo para pagar em até 20 anos.

Dessa forma, mesmo com o desajuste econômico causado pelo conflito no leste europeu ou pelas eleições à vista, Carrete se diz otimista. “Existe uma demanda reprimida. As pessoas se casam, formam família e precisam de outro imóvel. E ainda há muita oferta de crédito, os fundos estão abarrotados e querem emprestar com garantia, que é o nosso foco.”

Mercado

Recentemente, diversos players começaram a olhar com atenção para o mercado imobiliário. Um exemplo é a XP, que em dezembro comprou 49,9% do capital da startup Direto.

As proptechs Loft e QuintoAndar também vêm reforçando sua estratégia em serviços financeiros, num momento em que o financiamento imobiliário bateu recorde no país, chegando a R$ 255 bilhões no ano passado, de acordo com dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).

O crédito com garantia de imóvel, conhecido como home equity, encerrou o ano com saldo de R$ 13,5 bilhões em carteira, segundo a entidade. O potencial da modalidade é de R$ 500 bilhões, conforme estimativas de mercado.

(com edição de Danylo Martins)

 

*Fernando Barbosa é jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi. Passou por jornais como Diário de São Paulo e DCI e pelas revistas Dinheiro Rural e Globo Rural. Também já contribuiu com os sites NeoFeed e PEGN. Atualmente, escreve para UOL e Finsiders. É apaixonado por futebol e corintiano fanático (assim como o editor-chefe do Finsiders, Danylo Martins).

Leia também:

O ‘hub financeiro’ para imobiliárias da CashGO atraiu ex-CEOs de bancos

Chilena Creditú chega ao Brasil para competir no crédito imobiliário

Ex-Itaú BBA é o novo CEO da fintech de home equity Pontte

Aluguel sem fiador: a estratégia da CredPago pós-Loft

 

[/et_pb_text][et_pb_text admin_label=”TAGS – NÃO MEXER” _builder_version=”4.9.5″ _dynamic_attributes=”content” _module_preset=”default” text_font=”|600|||||||” text_text_color=”#023146″ link_font=”|600|||||||” link_text_color=”#023146″ locked=”off” global_colors_info=”{}”]@ET-DC@eyJkeW5hbWljIjp0cnVlLCJjb250ZW50IjoicG9zdF90YWdzIiwic2V0dGluZ3MiOnsiYmVmb3JlIjoiVEFHUzogIiwiYWZ0ZXIiOiIiLCJsaW5rX3RvX3Rlcm1fcGFnZSI6Im9uIiwic2VwYXJhdG9yIjoiIHwgIiwiY2F0ZWdvcnlfdHlwZSI6InBvc3RfdGFnIn19@[/et_pb_text][/et_pb_column_inner][/et_pb_row_inner][/et_pb_column][et_pb_column type=”1_3″ _builder_version=”3.25″ custom_padding=”|||” global_colors_info=”{}” custom_padding__hover=”|||”][et_pb_signup mailchimp_list=”Finsiders Brasil|d1e4d69294″ first_name_field=”off” last_name_field=”off” success_message=”E-mail Cadastrado!” title=”Os principais empreendedores, investidores e executivos do setor leem. Junte-se a eles:” button_text=”Inscrever-se” admin_label=”Cadastro na News” _builder_version=”4.9.5″ _module_preset=”default” header_text_align=”left” background_color=”#023146″ custom_button=”on” button_text_color=”#ffffff” button_bg_color=”#0c71c3″ button_border_width=”0px” border_radii=”on|4px|4px|4px|4px” locked=”off” global_colors_info=”{}”][/et_pb_signup][et_pb_text admin_label=”Leia também” _builder_version=”4.9.5″ header_text_color=”#023146″ header_2_text_color=”#023146″ custom_margin=”||17px|||” locked=”off” global_colors_info=”{}”]

Leia também:

[/et_pb_text][et_pb_blog fullwidth=”off” posts_number=”3″ include_categories=”current” meta_date=”d/m/Y” use_manual_excerpt=”off” show_more=”on” show_author=”off” show_date=”off” show_categories=”off” show_excerpt=”off” show_pagination=”off” admin_label=”Artigos relacionados” _builder_version=”4.9.5″ _module_preset=”default” header_font=”|700|||||||” header_text_color=”#333333″ read_more_font=”|700|||||||” read_more_text_color=”#023146″ border_radii=”on|10px|10px|10px|10px” border_width_all=”0px” box_shadow_style=”preset2″ global_colors_info=”{}”][/et_pb_blog][/et_pb_column][/et_pb_section][et_pb_section fb_built=”1″ _builder_version=”3.22″ custom_padding=”19px|||||” global_colors_info=”{}”][et_pb_row column_structure=”1_3,2_3″ admin_label=”Autor – Danylo” _builder_version=”4.9.6″ _module_preset=”default” custom_padding=”||0px|||” locked=”off” global_colors_info=”{}”][et_pb_column type=”1_3″ _builder_version=”4.6.5″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][et_pb_image src=”https://finsiders.com.br/wp-content/uploads/2020/10/Danylo-Martins-Fundador.png” title_text=”Danylo-Martins-Fundador” url=”https://www.linkedin.com/in/danylomartins/” url_new_window=”on” align=”center” _builder_version=”4.9.4″ _module_preset=”default” width=”54%” global_colors_info=”{}”][/et_pb_image][/et_pb_column][et_pb_column type=”2_3″ _builder_version=”4.6.5″ _module_preset=”default” global_colors_info=”{}”][et_pb_text _builder_version=”4.9.4″ text_font=”||||||||” text_text_color=”#333333″ text_font_size=”18px” header_text_color=”#ffffff” custom_margin=”17px|||||” global_colors_info=”{}”]

Danylo Martins é jornalista com dez anos de cobertura de finanças, empreendedorismo e inovação no setor financeiro. Com MBA em mercado de capitais, é vencedor de quatro prêmios de jornalismo econômico e colabora com o jornal Valor Econômico há oito anos. Teve passagens por Folha de S.Paulo e revista Você S/A.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Tags:

Assine a newsletter
gratuita!

Os principais empreendedores, investidores e executivos do setor leem.
Junte-se a eles:

Siga nosso canal no WhatsApp!

Leia mais

Newsletter

Receba o Finsiders no seu e-mail